Quem Somos

Somos uma ONG ECUMÊNICA, localizada na ZONA OESTE de São Paulo (Brasil), composta 100% por VOLUNTÁRIOS, sem fins lucrativos, mantida através de doações particulares, de voluntários e se possível dos participantes. Estamos atendendo de forma PRESENCIAL e ON-LINE, oferecendo tratamento complementar ao exigido tratamento psicológico e/ou psiquiátrico para pessoas que estejam sofrendo de Transtornos de Personalidade, Depressão Maior, Ansiedade Crônica, ou qualquer síndrome com sintomas auto destrutivos ou ideação suicida. Os critérios de aceitação na ONG são:  ter idade a partir de 8 anos, estar em sofrimento ou ter ideação suicida e não ser dependente químico (álcool, drogas ilícitas e/ou chás alucinógenos).
Para o Espaço SER, embora o tratamento realizado atualmente pela ciência seja relativamente eficaz na tentativa de estabilização do paciente a longo prazo, entende-se que a falta de uma cura real para os Sintomas Auto Destrutivos, o alto risco de suicídio que acompanha todo o processo de estabilização e todo sofrimento da pessoa e de seus familiares ao longo deste tratamento, legitima uma forma complementar de terapia na qual a atual abordagem proposta pela ciência, seria complementada por uma egrégora de atividades de cunho terapêutico e energético, implantadas de forma estudada, autorizada e validada por profissionais da área.

Este conjunto de atividades complementares é baseado no Protocolo de Tratamento Terapêutico e nos princípios estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e na Carta de Otawa, e trabalhará sempre de modo complementar ao tratamento psicológico e/ou psiquiátrico estabelecido previamente pelos profissionais da saúde, visando melhorar a QUALIDADE DE VIDA e PROMOÇÃO DA SAÚDE do atendido ( participante) e de seus familiares.

Falamos do verdadeiro Amor, aquele desprovido dos desejos e caprichos do ego.

Para nosso foco, a prática do Amor está diretamente ligada à mudança do foco de si mesmo para o próximo de forma desinteressada e fraterna. A extensão desta reflexão pode ser descrita através da arte de SERVIR AO PRÓXIMO DE MODO TOTALMENTE DESPROVIDO DE INTERESSE PRÓPRIO.
Servir de forma verdadeiramente desinteressada, representa um alto grau de desenvolvimento espiritual e, talvez, a prática do GRANDE PROPÓSITO DA HUMANIDADE: a prática da CARIDADE!
Chegamos ao ponto fundamental de todo nosso Protocolo de Tratamento Terapêutico onde, por mais respeito que mereçam os profissionais da área da saúde, a grande maioria é incapaz de se equiparar às atividades totalmente altruístas e desprovidas de interesse material e/ou financeiro desenvolvidas pelos Voluntários.
Este é o ponto para o qual gostaríamos de chamar a ATENÇÃO PLENA de todos. Esta é verdadeiramente a vivência prática ecumênica de espiritualidade lida, falada, estudada, agora vivenciada.
Doar seu bem mais precioso, seu tempo pessoal para os Jovens Participantes é, sem dúvida, o ingrediente fundamental de formação da EGRÉGORA ENERGÉTICA a ser formada com o objetivo de, através do exercício da fraternidade (AMOR EM MOVIMENTO), impulsionar os Jovens Participantes para seus propósitos e, consequentemente, atingir seus objetivos.
Apenas com o AMOR despertado, o propósito começará a se manifestar e, com o princípio da revelação do propósito, o Amor se expandirá criando um ciclo de virtude e energia que esperamos que, associado ao trabalho dos profissionais da saúde, venha a reverter os sintomas que degradam a personalidade do Jovem Participante.
A prática da GRATIDÃO também será motivada junto aos jovens. Ao sentirem a gratidão por fazerem parte de algo maior e profundo, por poderem fazer a diferença, colaborando de modo ativo para a transformação da sociedade. Assim, sentir-se-ão parte de um propósito humano, em harmonia consigo mesmos e com as pessoas que os rodeiam.
A prática da CARIDADE será o ponto culminante trabalhado com os jovens, que serão motivados a se engajarem à entidades, associações e fundações, todas sem fins lucrativos, as quais, sob nossa orientação, serão escolhidas pelos jovens de acordo com seus interesses e empatia. Também será possível serem voluntários em nosso Espaço SER, motivando novos participantes, e, desta forma, concluindo o processo de cura final estabelecido pelos seus psiquiatras e terapeutas. Nada mais gratificante do que ajudar o próximo! Estaremos assim no verdadeiro caminho da ERA DA LUZ!

Somos um grupo de pessoas, conhecidos, amigos e profissionais, todos voluntários, de diversas áreas ligadas à terapia complementar, que se uniram na realização de atividades terapêuticas galgadas no TRABALHO, DEDICAÇÃO E AMOR incondicional dirigido aos Jovens Participantes.

Desejamos criar (ou reestabelecer), através de uma egregora de atividades terapêuticas, um Propósito de Vida para o Jovem Participante, objetivando a reconstrução da sua PERSONALIDADE atualmente transtornada, proporcionando-lhes o bem estar físico e psicológico.
Seria interessante refletir no fato de que a esmagadora maioria dos seres humanos atualmente não possuem um Propósito de Vida, e no entanto de um modo geral, não apresentam sintomas auto destrutivos.
Contra pontos interessantes a esta colocação, colocamos em evidência as seguintes questões:

  • Por que entre os medicamentos mais vendidos (senão o mais) estão os antidepressivos?
  • Por que vivemos em uma sociedade tão inconsciente do valor da vida?
  • Por que vivemos em uma sociedade que não questiona o “quem eu sou”?
  • Por que vivemos em uma sociedade que não questiona “de onde eu vim”?
  • Por que vivemos em uma sociedade que não questiona “por que estou aqui”?

Seria esta reflexão conectada a inconsciência generalizada de uma sociedade quase androide rivalizando com os portadores de sintomas auto destrutivos despertos pela sua dor e não se encaixando nesta sociedade?
Nosso objetivo ao reconstruir a Personalidade do Jovem Participante através de um Propósito de Vida, via objetivo, seria utilizando o alicerce mais poderoso já encontrado:

Missão: Contribuir holisticamente para o desenvolvimento e equilíbrio dos jovens e seus familiares, ajudando-os a se sentirem pessoas harmônicas, capazes de colaborar a transformar a sociedade.

Visão:
Harmonização espiritual e cultural, dos jovens através da ética, do amor, da liberdade, do conhecimento e da verdade sem vínculos com crenças, cultos ou religiões específicas.

Valores:
Amor, Espiritualidade, Consciência e Trabalho
Objetivo: Fazer com que os jovens se reencontrem através do conhecimento de seu propósito de vida e da sua chama divina. Confiando que estes jovens são capazes de, ao estabelecer contato com a arte, cultura, conhecimento interior e acompanhamento profissional (psicológico / psiquiátrico) reencontrarem o que os torna únicos e especiais: a sua individualidade e propósito interior.
Finalidade Social: Receber jovens com sintomas auto destrutivos, oferecendo-lhes apoio psicológico, cultural e energético, visando o retorno de seu equilíbrio psicoemocional junto a sua família e sociedade.

Depoimentos

Os depoimentos a seguir, são relatos de crianças, jovens e adultos que participam ou participaram das terapias integrativas da ONG e seus nomes foram modificados para manter o sigilo e a privacidade dos mesmos.

Bruna - 25 anos

A Ong Espaço SER mudou minha vida por completo. Lembro-me muito bem quando fui encontrada por uma voluntária, sem acreditar, pois era bom demais pra ser verdade, só podia ser pegadinha! Mas foi mesmo assim.

Eu estava num momento bem complicado, autoestima no fundo do poço, era recente minha tentativa de suicídio e me sentia solitária. Na primeira visita fui muito bem acolhida, fiz algumas atividades e já no primeiro dia senti diferença na minha mente, no meu sono e continuei frequentando. Na ONG encontrei apoio, pessoas que me entendiam, sem julgamentos, eu tinha uma turma, sabe? Inclusive, tem amizades de lá que tenho certeza que vou levar pra vida inteira. Achava-me introvertida, desinteressante, incapaz de fazer amigos e tantas outras coisas. Hoje enxergo que não são verdade, era apenas minha mente me sabotando e tomando conta. Descobri que na verdade, que sou uma pessoa que amo me conectar, amada e amável, que mereço amor. Descobri que sou expansiva, comunicativa e capaz, SIM, de fazer amigos. E claro, descobri também a minha maior paixão e o que me faz mais feliz todos os dias: O YOGA.

Eu tinha resistência em praticar Yoga, pensamentos como: não sou flexível, sou travada, muito parado, vou passar vergonha. E quando comecei a praticar, me apaixonei! Dizia que era meu ansiolítico e meu antidepressivo natural. TODO DIA, o que me movia era saber que iria à ONG ou que iria fazer yoga. A ONG era minha motivação para acordar todos os dias, me manter viva e lutar pela vida… Até o ponto de começar a amar a vida e ser grata por ela.

Graças a ONG, hoje eu sou professora de Yoga (olha só o que essa paixão se tornou, não é mesmo?) e sou apaixonada, respiro Yoga. Hoje tenho a oportunidade de acolher meus alunos da mesma forma que fui acolhida com a prática. Tenho a chance de mostrar um pouquinho do que senti com o Yoga e vibrar pelos meus alunos, pelos seus avanços, mostrar que são capazes, se autoconhecer.

Sabe o sentido? O propósito? Eu entendi, eu achei. E faz tanto sentido. Transformei-me completamente, estou estável psicologicamente, de alta da ONG, alta da terapia, sem remédios, trabalhando com o que eu amo, tendo amor próprio, amor pela vida, enfrento os desafios e entendo seus altos e baixos, a montanha russa que é viver. Se eu voltasse no tempo e encontrasse comigo mesma de anos atrás e dissesse como estou hoje, o que eu me tornaria, o eu do passado iria rir da minha cara e não acreditar. Até porque, que transformação! Todos os dias da minha vida eu agradeço por esse Espaço, por todas as pessoas e todas as oportunidades que toda a situação me trouxe… Até porque, vai saber onde eu estaria sem tudo isso.
Muito obrigada

Andrea, mãe do Murillo de 21 anos – novembro 2020

O Espaço SER entrou em nossas vidas no inicio deste ano e tem nos ajudado muito. Ele foi um divisor para entendermos pelo que nosso filho estava passando. Estávamos totalmente perdidos e sem entender a melhor forma de ajudá-lo. Hoje vemos que as atividades propostas pela ONG têm feito muito bem à ele. Participa ativamente, criou novos vínculos e gosta de todas as atividades. Faz questão de participar e expressar o que sente e pensa sobre os assuntos propostos nas Rodas de Conversa.

A ONG nos fez entender que não somos os únicos passando por este processo da depressão, que é necessário falar sobre isto e estarmos sempre abertos para ouvir o outro. Temos um longo caminho pela frente, mas saber que temos apoio faz toda a diferença.

Só temos a agradecer a todos os participantes e voluntários.

Rita, mãe do Arthur de 13 anos - novembro 2020

Meu filho está em uma escola onde foi bem recebido e com profissionais muito bons. E há algum tempo ele vêm chamando a minha atenção e eu também tenho notado que meu filho hoje com 13 anos vem em um estado de sofrimento interno com muitas nuances… Mas que gera uma insegurança e medo nele e em quem o ama ou o acompanha de perto como é o caso dos profissionais da escola. Em busca de lugares ou pessoas que pudessem nos ajudar chegamos no contato do Fernando, um dos fundadores da ONG Espaço SER onde fomos acolhidos com muito carinho e amor. Sabemos que nada muda de uma hora para outra e hoje ele vem sendo ajudado, compartilhando suas experiências com atividades como Arteterapia, musicoterapia e muito mais, tendo contato com outros adolescentes que têm os mesmos medos e inseguranças. Eles trocam experiências e soluções, se ajudando mutuamente. Eu como responsável por ele, também sou acolhida na ONG Espaço SER, pois sabemos que todos temos que estar bem; somos bases para os nossos filhos como eles são parte do nosso caminho.

A ONG com todos os seus participantes que a formam são muito acolhedores e de um carinho imensurável… em cada palavra de força e ajuda. Tenho uma enorme gratidão a ONG Espaço SER.

Maria Aparecida, mãe do Camilo de 23 anos – novembro 2020

Falar da ONG “Espaço SER – Casa Matheus Campos” é falar de Gratidão Amor. 

Conhecer esse lugar foi para mim como encontrar um oásis em pleno deserto onde eu me encontrava com a escassez de esperança e minha convicção religiosa fervendo meus miolos.

Mas Deus nunca me abandonou,  colocando “anjos” em minha vida, para me ensinar, me direcionar e me sustentar nos momentos difíceis e foi num desses momentos que “Legiões de Anjos” apareceram na minha vida e do meu filho com o nome de ONG “Espaço SER – Casa Matheus Campos “, trazendo amparo, conhecimento, assistência e amor. 

Meu filho vai completar 2 anos na ONG, é nítido sua melhora e desenvolvimento em relação a maturidade, autoconhecimento, autoconfiança, autoestima e coragem…

Sei que é um processo longo, mas não impossível, que cada conquista deve ser valorizada, que temos nossos limites, nossas dificuldades… mas isso não nos impede de sermos felizes, aprendendo a nos aceitar e sonhar. 

Aprendi que precisamos nos unir para nos fortalecer e assim ajudar àqueles que passam pelo mesmo problema.

Obrigada ONG “Espaço SER” 

Lívia, mãe da Camila de 29 anos – novembro 2020

Sou mãe da Camila e conheci a ONG Espaço SER – Casa Matheus Campos em um dos muitos momentos difíceis após uma internação dela. Queria ter um lugar onde ela pudesse ser acolhida e criasse vínculo com pessoas que pudessem entender seus sentimentos e aflições. E foi na ONG que ela encontrou através de muita dedicação de todos e das terapias e práticas ocupacionais um espaço só dela, fazendo com que superasse os momentos difíceis com mais tranquilidade e equilíbrio. Nesse caminho de amor e luz hoje vejo minha filha uma pessoa mais forte e feliz. Desejo que mais jovens possam se encontrar através do trabalho maravilhoso desenvolvido por vocês !!!

Luz e minha gratidão eterna.

Fernanda, mãe da Clara de 16 anos – novembro 2020

Meu nome é Fernanda e gostaria de contar nossa estória. Minha filha Clara aos quatorze anos começou a dar os primeiros sintomas de depressão depois de um bullying na escola. Procuramos um renomado psiquiatra e ela foi medicada. 

Ela fazia desenhos e dizia que nunca mais voltaria para escola. Começou a não sair da cama, nem tomar banho e rabiscava coisas sem sentido.

Automutilação, raiva e olhos intensos. Sua postura curvou e ela só vestia preto. Só imaginava formas de suicídio. Como? Quatorze anos, amada, em uma família estável, amorosa. Como era possível? A evolução foi sendo rápida. Perdeu o ano letivo pois não conseguia frequentar a escola nova. O ano seguinte também não frequentou. Não acreditávamos em como ela se transformou, minha menininha falando em morrer. Inacreditável, de uma forma tão terrível para qualquer pai entender a impotência dessa situação. Entender que somos incapazes de salvar nossa própria filha, de defender ela do mal, da tristeza, é desesperador. Quando nos vimos impotentes pedi a Deus que me ajudasse a estar ao lado de pessoas que pudessem ajudá-la. Era só isso que pedia fervorosamente, num desespero enlouquecedor. Durante uma consulta, nossa pediatra e homeopata, que acompanha a Clara desde a gravidez, então nos indicou a ONG, Espaço SER e em um telefonema, no meio de arrepios e lágrimas, pois naquele momento pude sentir que havia sido atendida, mas não sabia o quanto, conhecemos a ONG ainda no começo. A Clara foi amparada no mesmo dia e logo estava frequentando diariamente as atividades e o amor que recebia era tão enorme que ativamente, até hoje, aos dezesseis anos, durante a pandemia, ela não deixa de participar principalmente da roda de conversa, musicoterapia, yoga, entre outros.

Encontrar outras pessoas que estão passando pelo mesmo sentimento que ela sente, fez com que ela não se sentisse mais sozinha. Ela é amada e aprendeu a amar. Aprendeu a se sentir bem com ela mesma e a passar pelas dificuldades diárias da depressão. Não saberia agradecer a todos esses voluntários que são pessoas tão excepcionalmente maravilhosas. Pessoas evoluídas espiritualmente em uma comunhão de Amor fraterno. Gostaria de agradecer a Milene, Sandra, a psicóloga Maria Delia, e todos os outros voluntários pelo amparo que teve, que é indescritível! Caminhar ao lado de todos vocês é o maior presente do mundo. A Tânia e ao Fernando, uma vida de gratidão é muito pouco para agradecer por salvar-nos todos! Muito obrigada! Gratidão! Amor! Benção para vocês.

Cíntia, 27 anos - setembro 2020

Olá voluntários do Espaço SER. Eu me chamo Cíntia, tenho 27 anos e conheci vocês no período da pandemia, onde foi um período bem complicado para mim, emocionalmente e psicologicamente, e que através de uma aluna eu conheci a ONG. E veio de encontro com várias necessidades e demandas que eu tinha naquele momento, com determinadas dores que eu não sabia lidar. E nossa, eu sou muito grata ao acolhimento de todos vocês, a todo momento desde o início, pelo carinho e pela atenção. É muito importante ser ouvida, é muito importante ser acolhida, é muito importante se sentir parte de algo. E com vocês em tão pouco tempo e, apenas remotamente, eu tive um grande ganho pessoal para me compreender; me enxergar, me olhar com mais amor; desabafar; chorar; entender que existem pessoas na mesma situação, que não é frescura. Tanta gente fala tanta coisa no meio do caminho da nossa vida que a gente se perde em saber se o que a gente está passando realmente é importante para o próximo, para quem está ao nosso redor, e vocês me mostraram que sim. É importante a dor do outro, é importante oferecer a mão, dar carinho. E eu estou aqui para ser grata, eu estou aqui para agradecer de todo meu coração, com um nozinho na garganta porque eu fiquei emocionada. Mas que foi ótimo para mim todo o carinho e o período que estive com vocês. Estou graças a Deus bem melhor, retornando agora às atividades aos poucos, sinto falta da frequência de estar com vocês. Mas eu modifiquei extremamente em tão pouco tempo pelo auxílio vocês. Adorava as práticas de yoga, adorava as práticas de meditação. Contínuo, mesmo não com a ONG, fazendo em casa todo dia. E eu só quero agradecer muito. O que vocês fazem, salvam vidas. Beijo.

Karina – 20 anos, setembro 2019

Sobre aquele decisivo lugar de paz.

Sabe quando você entra num determinado lugar e já sente algo de diferente simplesmente ao adentrar e sentir a aura do ambiente? E quando você conhece uma pessoa e percebe que ela é um ser humano totalmente repleto de luz e inteiramente cheio de amor pra dar? Pois é, estou falando da ONG Espaço SER e das pessoas que lá habitam. Quando cheguei ali, estava totalmente um caos, não acreditava em mais nada, minha melhor amiga era a cama; mas com o decorrer do tempo percebi que as atividades lá exercidas me desenvolveram e levaram-me a ter uma percepção excepcionalmente elevada a respeito dos caminhos que a vida faz-nos percorrer.

É um ambiente repleto de amor, carinho, luz, gratidão, coragem, incentivo, disciplina, determinação, e cada dose de abraços que eu recebo nas vezes que eu vou lá, fazem eu me sentir amada, valorizada, cheia de garra e me encorajam à prosseguir. Tudo o que tenho a dizer à este local de paz, e às pessoas de paz, é simples: “gratidão, o mundo seria bem pequeno se não estivéssemos nele, seria um total desperdício desprezar toda essa obra de arte que chamamos de imaginação combinada… gratidão pelo acolhimento e pela força, vocês merecem todo carinho e apoio do universo.”

Muita luz, crescimento e sucesso e que o progresso e reconhecimento sejam imensos… ah, e lembrem-se sempre: “O amor acima de tudo!

Sara, 15 anos – junho 2019

Minha vida era repleta de solidão e mágoas, eu me odiava e pensava em morte e em sair deste mundo. Mas quando eu entrei na ONG, fui me sentindo bem comigo mesma, fazendo yoga, tai chi chuan, etc. Fui me superando dos pensamentos ruins da vida e liberando minha coragem que nunca tive na minha escola e fui fazendo várias amizades verdadeiras que nunca tive na escola. Agora sinto que não sou única a passar por depressão profunda e sinto que no Espaço SER posso confiar em todos de lá. 

Maria, 17 anos

Eu podia escrever aqui mil e um versos sobre o que a ONG representa na minha vida, mas concretizo dizendo que foi a melhor coisa que me aconteceu. Sou grata a todo amor e carinho, frequentando lá os meus pensamentos suicidas diminuíram de 100% para 0,1%. Graças a ONG, hoje eu tenho amor à vida e foi lá que eu encontrei minha paz. Todas as pessoas deveriam conhecer um pouco mais do que o Espaço SER – Casa Matheus Campos pode mudar na vida de alguém! Muita gratidão, com amor, Maria.

Angel, 23 anos – novembro 2020

A ONG Espaço SER, é um lugar para você se sentir acolhido. Sempre estão a sua disposição, trazem muita alegria. Principalmente com a pandemia atual, nós precisamos de algo que nos mantenha alegres. As aulas são ministradas com instrutores acolhedores, que escutam tudo que o que aconteceu no seu dia a dia, te relaxam, te dão apoio e suporte necessário. Eu sempre me sinto bastante alegre e relaxada com as aulas, dão uma paz interior indescritível.

Maria, mãe do Felipe de 23 anos - novembro 2020

Conhecemos a ONG Espaço SER em janeiro de 2020. Fomos muito bem recebidos pelas voluntárias do acolhimento e pelo Fernando. Quanto carinho e atenção ele nos deu no primeiro dia e aos poucos percebemos que ele é sempre assim, com todos que o procuram. Depois conhecemos a Tânia que também faz tudo com muito amor! É maravilhoso ver esses pais que passaram por um sofrimento tão grande e transformaram toda dor em amor para espalhar às pessoas que passam por momento de depressão ou sofrem com algum transtorno. Eles adotam os jovens como seus próprios filhos, abrindo a ONG com tantas atividades maravilhosas, como Yoga, Reiki, arteterapia, fotografia, taí chi, entre outras. Meu filho gosta muito de participar da ONG e percebi que ele sempre sai muito bem de lá!

As atividades fazem muito bem a ele e complementam todo o trabalho do psiquiatra e psicóloga. Ele faz terapia pela ONG e o ajuda muito. Minha gratidão eterna a vocês!

Marta, mãe da Luly de 17 anos – novembro 2020

A experiência de ser mãe de uma jovem com Personalidade Borderline é de aprendizado e enfrentamento de desafios diários…é preciso entender os sinais mais sutis de uma pessoa que ama demais. É preciso desenvolver o dom da percepção…É preciso reconhecer todas as nossas sombras e nós, para poder se desnudar diante da pessoa que você mais ama e assim oferecer o melhor caminho para percorrer de mãos dadas…

Este caminho não é nada fácil, mas se torna mais leve com a assistência, companheirismo e empatia da ONG…

Sou eternamente grata por ter vocês caminhando ao nosso lado… 

Carina, mãe da Júlia de 8 anos – novembro 2020

Foi um presente desta quarentena conhecer a ONG Espaço SER. Faz uns 5 meses que minha filha frequenta a ONG Online, a Arteterapia e o Yoga.  É gostoso de ver ela participando e interagindo toda feliz. Estas atividades são acolhimento neste momento de isolamento e ansiedade que estamos vivendo nesta pandemia. Teve uma melhora no sono, nos medos e insegurança.  

Giovana, 20 anos – setembro 2020

Gratidão, uma palavra que resume esse último ano. A um ano atrás, setembro de 2019. Eu decidi acabar com meu ciclo de vida, tinha passado nos últimos meses pelos piores momentos da minha vida. Eu simplesmente não via mais sentido, a minha rotina simplesmente era ficar deitada na minha cama chorando, sentindo um vazio existencial imenso que tirava tudo. As vezes quando abria os olhos de manhã eu perguntava a mim mesma o que ainda estava fazendo aqui. Sempre tive acompanhamento psicólogo e psiquiátrico, que felizmente era um ponto muito positivo, pois sei que existem milhares de pessoas que passam pelo mesmo problema que eu e nunca tiveram um profissional para os acompanhar.  Estamos em um mês muito significativo, pois se trata do mês onde os problemas psicológicos se tornam mais visíveis. Debate-se muito sobre suicídio. Algo que, como sobrevivente de tentativa de suicídio, gostaria de deixar bem claro que quando se toma a árdua decisão de acabar com sua própria existência, há uma dor imensurável. Não é uma forma de chamar atenção como a maioria das pessoas pensam. Isto não é brincadeira, é um problema que tem atingido milhares pessoas no mundo, independente da sua classe social ou cor de pele. Se você tem problemas psicológicos não se cale, procure um profissional que possa te auxiliar, procure ONGs que trabalhem com ajuda terapêutica. Isso irá te auxiliar muito. Você não está sozinho nessa luta, existem várias pessoas de luz dispostas a te ajudar. Aqui deixo o meu agradecimento a minha psicóloga, Espaço SER – Casa Matheus Campos, a meu tio que sempre encontrou as melhores palavras para me ajudar, a minha tia e toda minha família. Você não está sozinho! Muita luz pra você.

Marta, 20 anos – setembro 2020

Eu fui diagnosticada com depressão profunda por volta dos 18 anos, fiquei internada em clínica psiquiátrica e não via sentido para nada. Aos 19, fiquei isolada por quase um ano em casa sem nenhuma perspectiva. Já não pensava mais no futuro… E foi quando resolvi dar uma chance para eu me tratar de verdade. Entre altos e baixos, estou buscando meu equilíbrio interno.

Quando começamos a ficar em quarentena eu não levei um choque muito grande, porque já estava há um tempo com terapia e acompanhamento psiquiátrico. Também passamos a fazer as mesmas atividades de forma on-line. Não temos o contato físico, mas podemos usufruir das atividades da mesma forma; então, tudo isso está auxiliando muito nesse período de pandemia.

Adriana, 20 anos, junho 2019

Conhecer o Fernando, a Tânia e todo o projeto da ONG foi e ainda está sendo uma experiência muito rica para mim, tanto quanto borderline, quanto estudante de psicologia. O transtorno que eu e outros participantes vivenciamos, traz sentimentos de vazio constante e solidão, estar num ambiente com voluntários super dedicados, outros jovens que compreendem nossos conflitos e pessoas que trocam seu tempo e amor por experiências com a gente, deixa nosso coração super quentinho e grato, acredito que esse seja o ponto principal de toda nossa vivência juntos: descobrir cada vez mais como nos ajudar e contornar os dias ruins que todos passamos e poder ser uma luz para novas pessoas nessa onda de coisas ruins que vivemos esse últimos dias. As atividades também são todas bem pensadas para nós e isso tem mudado muito meu modo de enxergar as crises e os momentos difíceis, o que gera toda uma nova perspectiva de mundo e isso é super valioso. Sou muito grata por participar desse projeto maravilhoso e espero algum dia poder estar bem para devolver isso às pessoas que precisarem.

Daniel, 14 anos – maio 2019

Lá é um lugar bom dentro de um mundo ruim, e eu tenho medo de ser mentira.

Camilo, 21 anos

Descobri a ONG – Espaço SER por indicação de uma amiga que conheci quando estava internado numa clínica psiquiátrica, após tentar suicídio. Quando saí de lá me sentia perdido, sem esperança e nada me tranquilizava. Agora que frequento a ONG e vejo tantos voluntários super atenciosos e tantas atividades legais, estou mais forte emocionalmente e consigo planejar um futuro que antes era inconcebível. Sou grato pela Tânia e pelo Fernando e a todos os envolvidos nesse projeto tão bonito e tão necessário nos dias de hoje.

Sintomas Auto Destrutivos

DEPRESSÃO, ANSIEDADE, ANGÚSTIA E TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE

A depressão acompanha a humanidade ao longo de toda a sua história.  Para muitas pessoas é difícil até chamá-la de doença quando não temos nenhuma evidência física ou exames que ajudem a diagnosticar. Porém, a depressão pode ter manifestações físicas, sim, como causar uma série de alterações químicas no cérebro. O fato de não enxergarmos isso cientificamente, não significa que essas alterações não estejam aí. Outros gatilhos podem estar associados à circunstâncias externas. Estresse, por exemplo, pode iniciar sintomas depressivos em uma pessoa já predisposta.
Há outras causas possíveis para a depressão, como desequilíbrios metabólicos ou hormonais, ambientes de competição constante, falta de afeto e empatia entre as pessoas. Indivíduos que enfrentam traumas na vida, como luto, desemprego ou doenças, também são mais propensos a desenvolver a condição. Portanto, é resultado de uma interação complexa entre fatores sociais, psicológicos e biológicos.
Quem sofre com o transtorno de ansiedade tem muita dificuldade para realizar tarefas específicas, como falar em público. Diante da perspectiva de ter que fazer algo assim, o coração dispara, o corpo treme e a respiração fica irregular. A ansiedade pode ser tão forte que chega a incapacitar a pessoa de fazer suas tarefas cotidianas, o que prejudica sua vida em todos os sentidos.
O transtorno de personalidade borderline (TPB) é uma condição mental grave e complexa cujos sintomas instáveis e pungentes podem invadir o indivíduo de modo súbito, caótico, avassalador e desenfreado. Os critérios diagnósticos de TPB, segundo o DSM-V (Manual Diagnóstico e Estatístico de transtornos mentais 5ª Ed. 2013), compreendem um padrão de instabilidade das relações interpessoais, da autoimagem e dos afetos e de impulsividade acentuada que surge no começo da vida adulta e está presente em vários contextos e em vários níveis.

sintomas mais comuns da depressão:

  • Presença constante de pensamentos negativos;
  • Sentimentos de culpa;
  • Sensação de inutilidade;
  • Baixa auto-estima;
  • Tristeza;
  • Diminuição do prazer e do ânimo para atividades cotidianas.

sintomas mais comuns da ansiedade são:

  • Preocupações, tensões ou medos exagerados, sem a capacidade de relaxar;
  • Sensação contínua de que algo ruim vai acontecer;
  • Medo extremo de algum objeto ou situação;
  • Medo exagerado de ser humilhado publicamente;
  • Falta de controle sobre os pensamentos ou atitudes;
  • Pavor depois de uma situação muito difícil.

sintomas mais comuns do borderline são:

Indivíduos com TPB se caracterizam especialmente por sofrerem grande instabilidade emocional, desregulação afetiva excessiva, sentimentos intensos e polarizados do tipo “tudo ótimo e tudo péssimo” ou “eu te adoro e eu te odeio”, angústia de abandono, percepção de invasão do self, entre outros, que não raro geram comportamentos impulsivos perigosos voltados contra si mesmos, sendo comum a presença recorrente de atos auto lesivos, tentativas de suicídio e sentimentos profundos de vazio e tédio. O início do transtorno pode ocorrer na adolescência ou na idade adulta e o tratamento psicológico e/ou psiquiátrico é expressivo nesses pacientes.
Pessoas com TPB são verdadeiros vulcões prontos a explodir a qualquer instante. Elas apresentam alterações súbitas e expressivas de humor e suas relações interpessoais são intensas e instáveis sendo, às vezes, muito difícil o convívio próximo com elas.
Elas temem o abandono real ou imaginário, com frequência vivenciam um sentimento crônico de vazio e reação pungente ao estresse, protagonizando sucessivas ameaças (ou tentativas) de suicídio e automutilação. O “modus operandis” desses pacientes traz um sofrimento enorme tanto para si próprios como para os que com eles convivem. Uma só palavra mal colocada, uma situação inesperada sem relevância ou uma leve frustração pode levar o borderline a um acesso de raiva e ódio que duram em média poucas horas. Outra característica importante é que o borderline nem sempre sabe lidar com o êxito. É comum que eles abandonem ou destruam seus alvos e metas justo quando a perspectiva de consegui-las é real e próxima.
Os critérios do Manual de Diagnóstico e Estatístico de Distúrbios Mentais (DSM-V, na sigla inglesa) para que um paciente seja diagnosticado com Transtorno de Personalidade Borderline são:

  • Esforços desesperados para evitar abandono real ou imaginário
  • Padrão de relacionamentos interpessoais instáveis e intensos caracterizado pela alternância entre extremos de idealização e desvalorização
  • Perturbação da identidade: instabilidade acentuada e persistente da autoimagem ou da percepção de si mesmo
  • Impulsividade em pelo menos duas áreas potencialmente autodestrutivas (gastos, sexo, abuso de substâncias tóxicas, direção irresponsável, compulsão alimentar)
  • Recorrência de comportamento, gestos ou ameaças suicidas ou de comportamento automutilante
  • Instabilidade afetiva devida a uma acentuada reatividade do humor (disforia episódica, irritabilidade ou ansiedade intensa com duração geralmente de poucas horas e apenas raramente de mais de alguns dias)
  • Sentimentos crônicos de vazio
  • Raiva intensa e inapropriada ou dificuldade em controlá-la (mostras frequentes de irritação, raiva constante, brigas físicas recorrentes)
  • Ideação paranoide transitória associada a estresse ou sintomas dissociativos intensos.

O que é a Depressão Maior?

A depressão é uma doença psicológica causada por uma série de transtornos mentais que podem ter inúmeras origens, desde problemas físicos até sociais. O principal sintoma é uma tristeza profunda e sem fim, ela pode passar despercebida por anos, mas aos poucos atrapalha a qualidade de vida, porém o mais grave: a desesperança e falta de vontade de viver.
Hoje existe cerca de 121 milhões de pessoas no mundo diagnosticadas com depressão, segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS). O primeiro passo, segundo a mesma instituição, é o reconhecimento dos sintomas.

Embora a ciência não tenha encontrado uma cura para o TPB, sempre que o paciente apresentar sintomas muito angustiantes e ou reações que possam afetar ou machucar a si mesmos ou a outras pessoas, ele deve procurar o médico. Em casos de atos (auto) lesivos e compulsivos severos como jogo patológico, compulsão a compras, presença de comorbidades como doenças clínicas concomitantes, por exemplo.
O mesmo ocorre quando há intenção suicida ou mesmo tentativa. Nesses casos é muito importante que a família e principalmente os terapeutas tenham conhecimento desses pensamentos, pois eles podem ajudar. Por vezes tanto pacientes como familiares ficam muito assustados, mas os terapeutas compreendem bem essa situação e sabem como lidar.

Atualmente a ciência não foi capaz de encontrar uma cura para estes Sintomas Auto Destrutivos. O tratamento atualmente proposto visa tão somente a “estabilização” do Paciente. E a mesma, se alcançada, é apenas obtida (e não de forma conclusiva) após décadas de esforço e desgaste do Paciente e toda sua Família.
O tratamento inicial é a psicoterapia. Ela ajudará o paciente a controlar melhor seus impulsos e entender seu comportamento. Nesse caso, o tratamento foca principalmente as questões do suicídio e da automutilação.
Mas é preciso fazer uma terapia específica: o terapeuta deve ser mais ativo, mais próximo, mais participante, pois é uma pessoa que sofre muito. Ele pode oscilar o humor e romper com as relações que poderiam dar certo.
Os atendimentos demandam muita energia do especialista, que têm que deixar sempre um canal aberto para o paciente, seja de dia ou de noite ou madrugada ou nos finais de semana e inclusive durante viagens e férias. O psiquiatra tem que estar à disposição 24 horas por dia. Muitos telefonemas são feitos por pacientes que estavam à beira de um suicídio ou se cortando. São situações que podem não esperar o dia amanhecer. Por isso é essencial que a família busque especialistas que tenham esse perfil.
Estudos em geral mostram que nenhuma medicação se mostra promissora para o sentimento de vazio crônico, perturbações de identidade e medo de abandono que a pessoa sente. Mas eles podem agir em sintomas isolados.
Normalmente o diagnóstico é demorado. Pode levar três, cinco, dez ou ainda mais anos até que seja descoberto. É muito importante que o diagnóstico seja feito o mais precocemente possível e que o tratamento seja logo iniciado. É extremamente importante que toda a família se trate, pois na grande maioria dos casos a dinâmica familiar se encontra dilapidada pelo sofrimento e por anos de busca por um diagnóstico correto.
No caso do TPB, este é considerado um transtorno fronteiriço ou limítrofe entre uma modalidade “não normal” da personalidade de se relacionar com o mundo e um estado que pode ser considerado francamente patológico. Assim sendo, os pacientes com TPB devem ser considerados caso a caso.

Nossa proposta de tratamento terapêutico

O Protocolo de Tratamento Terapêutico do Espaço SER visa uma Terapia Ecumênica Energética, sem vínculo religioso, complementar à Terapia já realizada junto ao Paciente através de sua Impressão Clínica.
Entendemos que o ser humano além de possuir corpos Biológico e Psicológico, possui também um corpo Energético de onde os transtornos iniciam suas raízes. Atualmente, o diagnóstico das doenças e os tratamentos propostos, apenas tratam as suas consequências.

Nossa proposta é uma atuação holística unindo os conhecimentos da Medicina atual às Atividades Terapêuticas de profundo poder de cura energética.

Atividades para os participantes

O processo de terapia desenvolvido pelo ESPAÇO SER é baseada em grande parte por Práticas Integrativas e Complementares – PICS (reconhecidas inclusive pelo SUS). São elas:

  • Yoga
  • Aromaterapia
  • Arteterapia
  • Laserpuntura
  • Cromoterapia
  • Barra de Access
  • Fasciaterapia
  • Musicoterapia
  • Oficina de Fotografia
  • Tai Chi Chuan
  • Roda de Conversa
  • Reiki

A estas Práticas Integrativas e Complementares são associadas no ESPAÇO SER, as práticas de:


Gastronomia
Fitoterapia


Terapia holística
Meditação Dirigida


Roda de Reflexão
Oficina de Desenho


Aula de Música
Atelier de Francês


Oficina de Origami
Qi Gong

Salientamos que as práticas estão disponíveis de acordo com a agenda dos voluntários, e podem ser alteradas.

TERAPIA PARA OS FAMILIARES DOS JOVENS PARTICIPANTES

O processo de terapia desenvolvido pelo ESPAÇO SER é baseada no princípio de que a família funciona como uma grande célula viva. Se uma de suas partes (no caso um filho ou filha) está doente, toda a célula não é capaz de realizar normalmente suas funções.

Atividade para familiares dos Jovens participantes:

TERAPIA EM FAMILIA

Projeto

PROJETO EDUCAÇÃO CONSCIENTE E INTEGRATIVA

Para maiores informações e acesso à nossa cartilha, entre em contato através do e-mail: projetoeducacao@espacoser.org.br

Por uma educação liberta e criativa

É sabido que a educação apresenta muitos gargalos a serem otimizados, ou muitos gaps a serem corrigidos. Entre eles: ensino defasado (não contemporâneo); falta de motivação dos jovens pelo ensino; falta de preparo dos docentes para lidar com essa nova geração; salários baixos e falta de incentivo aos docentes; falta de preparo técnico e reciclagem para os docentes; falta de infraestrutura adequada para um bom ensino; falta de engajamento e participação dos pais junto às escolas…

Sete em cada dez alunos do 3º ano do ensino médio têm nível insuficiente em português e matemática. Entre essa parcela de estudantes, menos de 4% têm conhecimento adequado nestas disciplinas (1).

Mas é com o português e a matemática que precisamos nos preocupar? Com geografia, biologia, história…?

Acreditamos que tudo precisa de fato ser melhorado. E o que queremos apresentar neste manifesto é mais do que isso. Nosso objetivo é mostrar por onde podemos começar. Nós, como sociedade civil, pais, cidadãos engajados e motivados na luta por uma educação que proporcione a formação de seres humanos que possam lidar com suas próprias emoções. Seres que consigam criar livremente, que saibam escolher o
que querem ser. Seres que escolham competir menos e compartilhar mais.

A educação linear não apetece mais, nem aos jovens e nem aos educadores. Vivemos em uma época de constantes mudanças, no famoso mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo), onde cada vez mais precisamos estar seguros para continuar a jornada que escolhemos seguir.
É preciso dar a esses jovens a oportunidade de uma educação que os ensine a aprender e reaprender. Que os ensine a serem “aprendedores”. Pois é isso que o mundo pede. E é isso que eles querem. Então, vamos perguntar a eles?

A educação linear, na qual escolhíamos uma profissão no término do ensino médio, e sendo definitiva como carreira, não existe mais. Essa linearidade não cabe no contexto atual. É a mesma coisa para aquela linha reta da vida: nascer, estudar, trabalhar, ter uma casa, casar, ter filhos…. Não! Cada um tem o seu tempo. Cada um tem o seu direito de escolha para ser o que quiser ser.

(1) Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017 divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) em agosto de 2018.

Os jovens precisam se libertar dos padrões e bloqueios causados pelas tradições. É necessário ensiná-los a aprender, a criar, a ter controle sobre os próprios sentimentos, fazer o bem, pensar nos outros. Ensinar o autoconhecimento para que eles tenham acesso ao seu propósito individual.

Acreditamos que o objetivo manifestado em cada jovem fará deste Brasil um país melhor, mais humano e igualitário, pois caminharemos para um propósito coletivo. O de uma nação protagonista de sua história. De uma nação educada para exercer o seu poder de raciocínio em prol de todos.

Estamos seguros que o autoconhecimento é uma ferramenta riquíssima e necessária na formação desses jovens cidadãos.

É preciso dar às crianças e jovens a oportunidade de uma nova educação. Aquela que os ensine além do conhecimento exterior, que os faça olhar para dentro e aprender a se tornar um cidadão melhor, mais humanizado.

A educação que estimula a desenvolver reflexões sobre valores e sentimentos permite que eles construam, de forma própria, ferramentas que os faça lidar com as adversidades e impasses da vida.

Essas sementes devem ser plantadas com urgência, por meio de novas práticas na base da educação. Sementes que promovam o autoconhecimento e a formação de novos valores.

Já existem escolas que aplicam práticas para provocar o autoconhecimento em seus alunos. Estudos mostram os benefícios de algumas dessas ações. Dentre elas, podemos citar a Filosofia, Yoga, Meditação, Tai chi chuan, Arteterapia, Musicoterapia, Imposição de Mãos, Aromaterapia e, por que não, Projetos Sociais?

Por que não ensinar às crianças e jovens o cuidar? Cuidar dos animais, das plantas, dos idosos, das pessoas com deficiência. Qual seria o valor que poderíamos transmitir a uma criança, levando-a a uma ONG de animais e pedir que ela cuide de alguns gatinhos? Qual seria o valor passado a um jovem ao levá-lo a um abrigo de idosos para que ele conte uma história para uma senhora? Ou ensine-a a fazer um origami?
Qual seria o valor aprendido por uma criança ao levá-la para regar as plantinhas em um parque público?

Quais seriam os princípios éticos apresentados a essas crianças e jovens? O que essas ferramentas forneceriam a eles? Com certeza, não estaríamos ensinando-as a competir. Tampouco a serem egoístas.

O incentivo a essas práticas servirá como verdadeiras alavancas para uma educação mais humanizada e inteligente. Acredite: para que servirão as fórmulas decoradas, as respostas prontas sobre história, o cálculo da raiz quadrada, se esses seres não forem capazes de lidar com as próprias emoções?

Sabe o que poderá acontecer? Ou melhor, já está acontecendo: jovens à beira da loucura. Ou por um excesso de cobrança, advindo da educação linear, ou pela falta de motivação ao ensino, que não proporciona um aprendizado além do curricular. Não instiga o debate, o pensar, a criação, o questionamento, o compartilhamento e a vontade de aprender.

O Brasil tem um caso de suicídio a cada 46 minutos. É a quarta causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. A taxa de mortalidade por suicídio no Brasil cresceu 2,3% em um ano, de 2015 a 2016 (2).

O que seria a depressão? Por que mais de 320 milhões de pessoas no mundo estão sofrendo com essa doença? O que está acontecendo conosco, com os nossos jovens? O que precisamos fazer para resgatar a nossa integridade psíquica? Por que estamos enlouquecendo?

É isso o que está acontecendo.

Vocês pensam que esses dados assustadores não se correlacionam com a educação? Não acreditam que uma educação consciente para o autoconhecimento não minimizaria essas dores dos transtornos mentais e suicidas?

“Os jovens com maior domínio de suas emoções têm melhor desempenho acadêmico, maior capacidade de cuidar de si e dos outros, mais predisposição para superar as adversidades e menor probabilidade de se engajar em comportamentos de risco”, afirma o professor Rafael Guerrero, da Universidade Complutense, de Madrid (Espanha) Se formos investigar, muitos dos problemas dos adultos se devem às dificuldades em lidar com as emoções. E isso nunca foi ensinado nas escolas.

(2) Dados do Ministério da Saúde publicados no G1 canal de notícias, em 20/09/2018.

Nunca foi ensinado pelos pais. Porque vivemos em uma cultura opressora e desprovida de autoestudo. Nossos pais não tiveram essa orientação. Então, como poderiam nos ensinar?

Não dá mais para seguir com o ensino baseado na decoreba, das respostas padrão, da falta de questionamentos. Sem educação emocional, não adianta saber resolver qualquer tipo de equação matemática.

Vamos direcionar o olhar para nós, pais e professores. Vejamos: insegurança, baixa autoestima e comportamentos compulsivos são algumas das consequências da falta de ferramentas para gerenciar nossas emoções. Temos que começar a nos entender e nos treinar, para que tenhamos capacidade de educar nossas crianças no domínio de seus pensamentos.

A educação emocional proporciona o conhecimento das próprias emoções e as dos outros. Resulta na prevenção dos efeitos nocivos dos sentimentos negativos, que levam a problemas de ansiedade, depressão e outros transtornos mentais. Lidar com as frustações e adaptar-se às mudanças é algo menos doloroso quando se conhece os próprios sentimentos.

Os professores precisam aprender a administrar suas próprias emoções para que possam ensinar crianças e adolescentes. O autoconhecimento é algo fundamental na base da educação, tanto pelas famílias quanto pelas escolas. Essa mesma orientação também vale para os pais, para que consigam entender seus filhos e ajudá-los nessa busca interior. Assim como é preciso um maior engajamento entre os pais e as escolas. É necessário que haja uma boa comunicação e interação entre eles, para que possam oferecer uma educação humanizada para as futuras gerações.
Acreditamos também que existem formas para iniciarmos uma melhora na comunicação entre pais, escolas e estudantes. Que tal um evento mensal com os pais juntos a seus filhos, com a escola promovendo atividades coletivas? Atividades ao ar livre, criação de um pomar, fabricação de instrumentos musicais. Será que isso é um sonho não factível? Que tal a experimentação?

Façam uma vez. Chamem os pais e escolham um deles para ser o líder na condução de uma atividade coletiva, para que ele organize, participe e conheça seu filho mais a fundo. Mudem o líder a cada reunião. Criem um laço de confiança entre essa criança/jovem, sua família e a escola.

Levem a natureza para escola, através de hortas feitas pelos alunos, seus pais e professores. Plantem grama, para que possam fazer aulas de meditação ao ar livre. Árvores frutíferas, para que possam colher as frutas…

Transformem a escola em um ambiente onde os estudantes sintam-se em casa, confortáveis para falar, expor ideias, criar, compartilhar, trabalhar em conjunto. E, acima de tudo, que permita a liberdade do ser para esses seres em formação.

Sabemos que são muitos passos a serem dados. São necessárias análises diversas, como as adequações das atividades às respectivas faixas etárias, estudo da grade curricular, custo com a reciclagem dos professores e novos profissionais etc.

Como disse o professor e filósofo Mário Sergio Cortella em uma de suas palestras: “Estamos vivendo um tempo de reviravoltas sem precedentes: na tecnologia, no trabalho, nas relações. Nesse contexto, mudar não é apenas imprescindível, mas inevitável. Principalmente quando se fala em educação”.

Então, o nosso objetivo com esse manifesto é otimizar os passos que podem ser dados. Porém, queremos a execução. Não são palavras bonitas para ficarem apenas aqui descritas.

Vide a cartilha que é complemento desse Manifesto. Na cartilha encontra-se detalhes sobre as práticas, bem como sugestões para implementação, preencha o formulário ao lado e baixe a cartilha em PDF.

Quem somos e o que queremos:

Somos seres preocupados com o futuro da nova geração. Queremos fazer algo para melhorar este País e o mundo. Acreditamos que o futuro justo para todos dar-se-á junto aos jovens despertados para a nova era: do autoconhecimento, compartilhamento, engajamento, generosidade e liberdade do ser. Ajude-nos a construir um Brasil mais igualitário e humanizado!

Priscylla Spencêr, Tania Iorillo e Milene Lamarca
Idealizadoras do projeto

Sandra Carabetti
Colaboradora
_______________________________________________________________

Priscylla Spencêr

Motivada pela liberdade do ser, aprendiz do amor livre, apaixonada pela cultura turca e entusiasta nos assuntos sobre a relação humana e o autoconhecimento.

Sou técnica em geologia e engenheira com especialização em gestão de projetos, e pioneira no mercado como profissional na área de mapeamento de fluxos e organização dos processos na área jurídica. Após ser mãe, muita coisa mudou em minha vida. Uma delas foi usar o mapeamento de processos para mapear os sentimentos, começando pelos meus.

Cheguei à conclusão que mapear somente os processos “cartesianos” não é suficiente se não entendermos as pessoas e suas habilidades, se não estimularmos a sua produtividade. E não há produtividade sem criatividade. Assim como não há criatividade sem autoconhecimento, sem acesso aos sentimentos”.
Nos sentimentos está o “mapa” do nosso projeto de vida.

Sou avessa às tradições. Sempre busco o novo, pois conhecimento nunca é demais.

Mas conhecimento guardado não é aprendizado. Acredito que a gente aprende compartilhando. E é isso que me faz seguir nesta caminhada por uma educação criativa e colaborativa.

Milene Esquivel Denari Lamarca

Analista de sistemas, pós-graduada em Administração e Marketing. Sempre fui apaixonada por matemática, sua exatidão, lógica e por achar soluções para problemas complexos. Outra paixão é o ser humano. Desde cedo aprendi a ter empatia, a escutar e a acolher as pessoas. Então, juntei essas paixões e habilidades e passei a trabalhar em empresas, buscando soluções tecnológicas adequadas e resolvendo conflitos entre os funcionários envolvidos. Depois que me tornei mãe, larguei o trabalho fora de casa, mas não parei de estudar. Estou cursando Psicologia
na Universidade Aberta do Tempo Útil, no Mackenzie (UATU). Em 2018, passei a fazer trabalho voluntário na ONG Espaço SER – Casa Matheus Campos, organização que recebe pessoas que estão em sofrimento, se machucam e têm ideações suicidas.

Além de acolher esse sofrimento, ajuda as pessoas a encontrarem um sentido na vida e novos propósitos.

Sandra Carabetti

Sou dinâmica, objetiva e pragmática, adoro mudanças, entristeço com a mesmice, gosto de viajar, conhecer lugares e pessoas, expandir a mente e horizontes.

Pedagoga com especialização em Educação Especial, tenho grande paixão por crianças. Minha escolha foi pela área mais difícil da Educação, a Especial. Por ser ainda carente de publicações e estudos científicos sobre os processos de aprendizagem, foi o que me motivou a construir minha trajetória de trabalho em ONGs.

Além de ter vivido uma experiência profissional intensa, me sensibilizei com as fragilidades humanas. Aprendi a trabalhar na adversidade, mas sem perder a amorosidade e a busca incessante por soluções de qualidade.

Atualmente voluntária na ONG Espaço SER – Casa Matheus Campos, reafirmei meu propósito de vida. Amo meu trabalho e a cada dia aprendo, com os profissionais e participantes, o significado real dessa nossa existência.

Tania Iorillo:

Sou consciente de que todos temos uma missão muito grande a realizar, muito além do que aquelas que nos foram programadas pela sociedade. Encontrei a minha após o suicídio de meu filho Matheus, de 14 anos, em 2017, apesar de ter a família mais perfeita que sempre sonhei. Foi quando abrimos a ONG Espaço SER – Casa Matheus Campos para ajudar outras pessoas, desde crianças até idosos, que pensam ou já tentaram o suicídio.

Sempre fui muito engajada em uma espiritualidade maior, buscando respostas reais em um sentido mais profundo da razão e não pressuposto pela sociedade. Sou mãe privilegiada de dois amados filhos e esposa de um Ser maravilhoso chamado Fernando.

Formada ou formatada em Publicidade e Propaganda pela FAAP, realizei-me como professora particular de francês, após ter morado cinco anos na França e um no Canadá.

Além da minha linda família, sou apaixonada por meus alunos, a quem posso passar os meus conhecimentos e o amor pela língua francesa e a possibilidade de mostrarlhes um caminho lindo a seguir, assim como fazemos na ONG aos que nos procuram em sofrimento, fazendo-os descobrir que VIVER é sempre a melhor escolha.

Projeto

PROJETO ALGORITMO DA VIDA

Estudos de especialistas em Saúde Mental indicam que pessoas com depressão usam recorrentemente um determinado grupo de palavras, como uma espécie de “gramática da depressão” para indicar, mesmo em estágios iniciais, a ocorrência da doença. Naturalmente, esses sinais também se fazem presentes no comportamento nas redes sociais.

Baseado nesses dados, foi criado o ALGORITMO DA VIDA, um sistema capaz de identificar uma enorme variedade de palavras, expressões e frases que podem indicar sintomas de depressão ou sofrimento nas postagens públicas dos usuários do Twitter.

Após essa primeira fase de identificação da sequência de palavras/expressões é realizada uma checagem cuidadosa pela equipe de voluntários da ONG Espaço SER, que recebe anteriormente um treinamento para poder examinar o contexto preocupante, a recorrência e periodicidade.  E assim identificarem se as pessoas que enviaram as mensagens rastreadas, estão realmente em sofrimento e com ideação suicida, e se for o caso, oferecer apoio psicológico e acolhimento emocional.

Com esse trabalho queremos salvar vidas e evitar, no que pudermos, o sofrimento das pessoas.

Como funciona a atuação do Voluntário?

Um “robô virtual” faz uma varredura em cerca de 6,5 a 7 milhões de mensagens por dia nos Twitter, identifica e capta posts que refletem sofrimento e grande vulnerabilidade. Esses posts são importados e disponibilizados para avaliação em um “banco de mensagens”.

Nossos voluntários realizam então uma avaliação mais cuidadosa desses posts e, quando a necessidade de intervenção é identificada, enviam através de perfil específico no Twitter, uma mensagem padrão oferecendo recursos de apoio tais como o CVV – Centro de Valorização da Vida, conteúdos de apoio e acesso a atendimento psicológico gratuito.

Para ser voluntário é preciso ter mais de 30 anos, conhecimentos em Excel, acesso a computador e disponibilidade de no mínimo 1hora por semana, inclusive aos finais de semana, se preferir, em horário escolhido pelo voluntário e que está na tabela de horários disponibilizados para o grupo.

Aos interessados, a inscrição está em nosso site www.espacoser.org.br, clicar na aba “Seja Voluntário” e escolher o item “Projeto Algoritmo da Vida” que teremos uma grande satisfação em inclui-los nessa equipe de LUZ.

Projeto

HELP FOR LIFE

O projeto HELP FOR LIFE foi concebido através de uma parceria entre o Espaço SER – Casa Matheus Campos e a ONG Suíça HELP FOR HOPE, com sede em Genebra.

Nós do Espaço SER tínhamos uma preocupação instigante: como prevenir, amenizar os efeitos da ansiedade e depressão nos jovens, antes que eles começassem a ser devastadores?
Nas escolas !!!! E assim nasceu nosso projeto e a ONG suíça abraçou de prontidão.

Vamos selecionar algumas escolas públicas e privadas, 150 jovens a partir de 14 anos de cada escola. Em dia previamente agendado com a Coordenação, faremos uma vivência, numa manhã ou tarde.
Serão 3 etapas:

– Escolha de 2 Práticas Integrativas e Complementares, Tai Chi e/ou Yoga (atividades que são trabalhadas com sucesso no Espaço SER). O (a) instrutor (a) de Yoga/Tai Chi fará uma breve explicação sobre a questão da depressão, ansiedade e os benefícios que essas práticas trazem para o equilíbrio do corpo e mente, e depois iniciará a atividade com os alunos. Essas práticas estimulam o autoconhecimento, concentração, serenidade, energia, enfim, os benefícios são inúmeros.

– Palestras para os professores, coordenação, direção e pais, sobre a questão do cuidado com a saúde mental, depressão/ ansiedade /transtornos mentais, etc. Conhecimento é poder! Todos deverão conhecer essas manifestações e os sinais que as pessoas mostram, para que o mais cedo possível, sejam encaminhadas para tratamento. O trabalho realizado na ONG (protocolos terapêuticos), os pilares que nos norteiam, os casos de sucesso, etc., também, serão abordados.

– Acolhimento psicológico, no dia da intervenção, para alunos indicados pela Coordenação e/ou aqueles que nos procurarem durantes as intervenções. A ideia principal é de informar e orientar esses alunos quanto a um possível tratamento a ser feito. A análise de cada atendimento será repassada à coordenadoria da escola.

O objetivo que almejamos, através desse projeto, é mostrar a importância de inserir as Práticas Integrativas e Complementares no currículo regular, desde a mais tenra idade. Acreditamos muito que essa medida beneficiará, enormemente, alunos e também o corpo docente, promovendo equilíbrio emocional a toda comunidade escolar, como também na prevenção de doenças mentais.

APOIADORES

VÍDEOS

DOAÇÕES

Seja um doador!
Ajude-nos na prevenção do suicídio e no tratamento de nossos jovens, apoiando nossa causa!
Depósito em conta por Doação Única realizada diretamente por depósito na conta bancária da ONG ou através de Boleto Mensal que podemos gerar, através de contato pelo e-mail: doacoes@espacoser.org.br ou através do WhatsApp (11) 97173-1792 (enviar mensagem de texto ou áudio que responderemos o mais breve possivel).
Dados Bancários para depósito em conta:
Banco Bradesco
Agência 0422
C/C 6364-9
Espaço SER Casa Matheus Campos
CNPJ 30.689.932/0001-54

SEJA VOLUNTÁRIO

O voluntário do Espaço SER Casa Matheus Campos doa seu tempo e sua atenção, para os jovens com tendência autodestrutiva.
Se você tem mais de 18 anos de idade e vontade de ajudar nossos jovens, você pode ser um voluntário na aplicação de nosso Protocolo de Tratamento Terapêutico.
As principais frentes de atuação de nossos voluntários são o desenvolvimento de nossas atividades terapêuticas (veja a aba “atividades” em nosso site).
Também é possível ser um voluntário-especialista, nos auxiliando com seus conhecimentos e recursos próprios, como, por exemplo, na divulgação, agendamento, pesquisa, captação de recursos ou tecnologias.
Para ser voluntário baixe a ficha de incrição aqui e depois envie a mesma preenchida para o e-mail contato@espacoser.org.br

CONTATO

Você pode tirar suas dúvidas ou conversar por e-mail com um voluntário do Espaço SER Casa Matheus Campos.
Aqui, como em qualquer outra forma de contato com o Espaço SER Casa Matheus Campos, você é atendido por um voluntário, com respeito, no anonimato, e que guardará estrito sigilo sobre tudo que for dito.
O atendimento por esta forma não é on line. Deixe aqui sua mensagem e, assim que possível, um de nossos voluntários responderá sua mensagem.
Contato através do Facebook ou WhatsApp 11 97173 1792.

Sigam nosso instagram: @espaco_cmc